quarta-feira, janeiro 23, 2008

O Marketing no desenvolvimento das organizações

"Segundo o estudo, os marketeers são altamente especializados e funcionam em silos, separados dos seus colegas. A sua rápida passagem pelas empresas (a média dos directores de marketing ronda os 22 meses, segundo a Brand Autopsy) demonstra a sua lealdade à disciplina, raramente às empresas. Confortáveis na sua área, não ambicionam tornar-se CEO’s e, numa era de contagem, as únicas métricas em que estão interessados são o tamanho dos budgets das suas equipas e o número de marcas nos seus currículos.

De acordo com a pesquisa, 81% dos inquiridos identificam o marketing como uma peça-chave no crescimento de uma organização, 85% acreditam que é crucial para a concepção da estratégia e 44% julgam que o planeamento estratégico é a aptidão mais importante de um director de marketing. Apesar disso, 70% dos CEO’s consideram que o papel do marketing não está devidamente articulado com a organização e 77% pensam que os seus empregados não apreciam o seu valor. Pode-se concluir que parece haver uma confusão entre o marketing enquanto conceito e o marketing na prática."

vale a pena ler todo o estudo aqui

8 comentários:

Andreia disse...

Sim é um trabalho ingrato e raramente apreciado como devia ser; pelo menos fora de Lisboa/Porto ainda se nota mais a incapacidade de compreender que a função de marketing é importante e necessária;

Sendo o marketing uma das componentes da Gestão de uma empresa, deveria ser igualmente relevante como o é a componente financeira ou produtiva e funcionarem de forma conjunta.

Exactamente porque os profissionais de marketing mudam de emprego facilmente é mais difícil confiar-lhe informação confidencial, mas que é necessária para o seu correcto desempenho.

Ainda bem que há excepções..

Domingos Pereira disse...

às vezes penso nisto... se grande parte do tecido empresarial do nosso país... não dá importância às técnicas de marketing... o que está mal? eles ou nós que não conseguimos mostrar para que servimos? Como explicar a uma mercearia o que podiamos fazer por eles? Um cabeleireiro? Um restaurante? Uma escola? Um hospital? hum?

O que dizemos a quem nos pergunta o que é isso do marketing? O que dizemos e com que facilidade dizemos? E acreditamos?

é um desabafo

Andreia disse...

A realidade aqui em Coimbra é que alguém de marketing é quase tão indispensável, que só não o é se fizer outras várias tarefas, como ser também comercial, ou fazer atendimento a clientes ou trabalho administrativo. E isto são os dois ou três que vão aparecendo, porque de resto, nem isso...

Isso sim é deprimente...
Acho que somos habituados a uma realidade durante a parte universitária, que não corresponde ao que acontece de verdade; é difícil ser-se optimista.

Sara disse...

Concordo plenamente com a andreia..e nao é so por coimbra k isso acontece..:S

Domingos Pereira disse...

A minha questão é... como dar a volta a essa questão?

Domingos Pereira disse...

Temos uma associação de profissionais de marketing, que uito honestamente não sei o que faz... dado que só tenho notícias dela quando há eventos e para descontos em pós graduações.

Mas para mim, uma associação desse calibr devia preocupar-se em promover a nossa profissão pelas empresas... o mesmo digo para as escolas que leccionam estes cursos.

Mas mais acrescento o nosso dever e necessidade em faze-lo também.

Andreia disse...

Isto é como numa relação, a culpa é sempre dos dois lol.

É nossa que muitas vezes não sabemos fazer-nos necessários, contrariando a tendência dos empregadores e mostrando-nos como profissionais com evolução provada e é culpa de quem não sabe liderar ou motivar os seus RH, que tem uma visão míope do seu negócio e uma atitude cinzenta face à realidade em geral.

Leonardo Pessanha disse...

Olá, gostei demais deste blog, que acabo de descobrir...
Há menos de um mês criei o Canal17.com (http://bloguese.blogspot.com), que também trata de assuntos relativos à comunicação empresarial. Boa sorte, parabéns pelo trabalho,
Leonardo Pessanha